ENTREVISTA CONCEDIDA A REVISTA DIVULGA ESCRITOR E PORTAL LITERÁRIO

foto-entrevista2B

Como surgiu o interesse por criar capas de livros?

Marco Mancen: Acredito que esse interesse tenha evoluído com o passar dos anos. Quando comecei a me interessar por design gráfico, eu trabalhava com publicidade,  tinha uma atração por capas de vinil, CDs e livros. Por muitas vezes eu parava em livrarias e lojas de CDs para admirar as capas, mas no começo era muito difícil pegar algum trabalho do gênero. Foi então, quando era diretor de arte em uma agência em que tinha participação, que pegamos a conta de uma distribuidora de filmes no Brasil e passei a desenvolver os cartazes de cinema. Foi um período muito criativo, pois assistia aos filmes e fazia os cartazes. Foi tão prazeroso, que Steven Soderbergh, diretor de um dos filmes, entrou em contato com a distribuidora no Brasil parabenizando pelo trabalho, pois considerou o melhor de todos os países em que foi lançado. Outro foi de um filme com Kevin Costner, que também foi escolhido para ser a base de toda América Latina.

A partir daí eu comecei a ter o prazer de, por exemplo, ouvir as músicas de um CD e fazer a capa; ler um livro ou resenha e fazer a capa. Sinto que tenho que passar para o consumidor o que ele espera ao ler aquele livro ou ouvir aquele CD; tem que haver uma harmonia entre a capa e o conteúdo, coisas que na maioria das vezes não ocorre. Existem péssimas capas para excelentes livros, que muitas vezes atrapalham a venda; e há também belas capas, mas que não passam a história, e o leitor acaba achando que foi enganado.

E a diagramação de livros e revistas começou em conjunto com as capas?

Marco Mancen: Não, na verdade a diagramação surgiu como uma necessidade. Até então eu fazia somente as capas para livros já diagramados, ou que iriam ser diagramados, e por diversas vezes passava o serviço para terceiros, ou já recebia o trabalho diagramado. Com isso, acabava vendo muitos erros ou diagramações pobres que não condiziam com a qualidade da capa. Foi então que decidi oferecer o serviço de diagramação com projeto gráfico, já que fazia isso para revistas e jornais e assim os clientes teriam um projeto completo de qualidade.

 Quem são os clientes que procuram por seus serviços editoriais?

Marco Mancen: Na maioria são escritores independentes, e atendo também diversas editoras em todo o Brasil. Quanto aos escritores, hoje, além do território nacional, atendo também no exterior.

O que o cliente deve saber para contratar um bom capista e diagramador?

Marco Mancen: Ter boas referências é o principal caminho. Por diversas vezes peguei trabalhos cujos escritores confiaram a “profissionais” que receberam e não entregaram o serviço, ou, na maioria das vezes cobraram barato e fizeram um serviço muito aquém do que o cliente esperava. Não entra na minha cabeça o cliente levar dias escrevendo uma obra, pagar a impressão, que não é barata, e querer economizar na capa, diagramação e revisão, que são fatores importantes na venda de um livro. Seria como pintar um belo quadro e embrulhá-lo em papel de pão para colocar à venda.

O que diria aos editores sobre capas e diagramação de livros?

Marco Mancen: Que valorizem mais os capistas e diagramadores, pois a qualidade do serviço deles é primordial para o negócio das editoras. Existem muitas editoras sérias no Brasil, mas a grande maioria não atenta para a qualidade final do livro, querem economizar pagando por um trabalho profissional e aí contratam serviços amadores. Já vi muitos escritores saindo de editoras por causa disso.

Como distinguir um bom projeto gráfico de algo amador?

Marco Mancen: Um bom projeto é o que oferece boa leitura e entendimento, tem estética e bom gosto, os elementos visuais não interferem na leitura e todos os elementos visuais utilizados, como fotos, ilustrações, fontes e cores são pensados harmoniosamente. Quanto ao amador não precisa dizer muita coisa, é o inverso disso.

Fale sobre alguns projetos importantes que realizou.

Marco Mancen: Para mim todos são importantes. Já atendi clientes que começaram quase do zero e se tornaram grandes clientes e continuam crescendo. Isso, para mim, é motivador, pois participar do sucesso de alguém ou de alguma empresa me faz muito bem.

Além de capas e diagramação de livros e revistas, que outros serviços oferece?

Marco Mancen: Todos os serviços na área do design gráfico, como criação de logotipos, papelaria, folders, flyers, cartazes, embalagens, anúncios, sites e muitos outros.

Como contratar o serviço?

Marco Mancen: É muito simples. Algumas pessoas ainda não estão totalmente “conectadas” e se preocupam como vou atender, por exemplo, no Pará, e como vou entregar o trabalho. Hoje, não existem mais distâncias, e o trabalho se desenvolve via internet, desde o pagamento até a entrega. O pagamento pode ser on-line com cartão em até 12X em ambiente seguro, via depósito bancário, boleto, o que for melhor para o cliente.

Acessando o site www.marcomancen.com ele terá alguns trabalhos expostos no portfólio e contatos. Após o primeiro contato é passado um pré-orçamento, e definidos os valores e forma de pagamento, é gerado um contrato para ambas as partes. A partir daí é passado ao cliente o que é preciso para o desenvolvimento do serviço contratado.

Os valores são compatíveis com os do mercado.

Fonte: http://portalliterario.com/entrevistas/entrevistas-brasil/368-entrevista-com-o-designer-grafico-marco-mancen

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s